+55 71 99245-0467 (Whatsapp) associacaodosmusicoslf@hotmail.com

É com grande pesar que a Associação dos Músicos de Lauro de Freitas recebe a notícia do falecimento do produtor musical e cultural Wesley Oliveira Rangel, na madrugada desta quarta-feira, 6, aos 65 anos. Ele estava internado no Hospital Aliança, em Salvador, tratando um câncer de próstata com metástase óssea, do qual já lutava há cinco anos. O sepultamento do corpo será às 15h30 no cemitério Jardim da Saudade, em Brotas.

Nascido em Iramaia, no interior baiano, Rangel mudou-se para Salvador em 1967, onde cursou Administração de Empresas e, posteriormente, Direito, com especial interesse em Direito Autoral. Foi representante da SOCINPRO em Salvador – uma das principais sociedades administradoras de Direitos Autorais do País e, há muitas décadas, tem acompanhado de perto a evolução da música baiana no Brasil e no Exterior.

PAI DO AXÉ MUSIC

Considerado o “pai do axé”, o dono da WR Estúdios foi responsável pelo lançamento de Luiz Caldas, em 1984, e da música ‘Fricote’ a nível nacional.

Em 2009, em entrevista ao Bahia Notícias, Rangel falou sobre o Axé e defendeu as origens do gênero musical que ajudou a criar. “O axé music não é um ritmo, é um comportamento musical, que leva alegria para as ruas, é a relação entre o cantor de trio elétrico e o povo”, disse (Leia mais aqui). Por conta dessa ‘alegria’ que buscava transmitir com o axé, o administrador foi responsável por grandes febres nacionais, como ‘Na boquinha da garrafa’. “Quando eu vi, Xuxa, Jô Soares tavam dançando… Ela é uma das músicas baianas mais tocadas em todo o mundo. Se fazemos música para o quadril, para dançar, brincar, tínhamos de pensar nisso. Música para a cabeça quem faz é Caetano Veloso, Gilberto Gil, Edu Lobo. Eles viveram uma situação política que exigia uma postura mais forte. Tudo corria em função disso”, explicou (Leia mais aqui).

Com a WR Estúdios, Rangel participou ativamente do mercado fonográfico local, produzindo e colaborando para o sucesso de artistas de projeção nacional e internacional como Juca Chaves, Chiclete com Banana, Ivete Sangalo, Edson Gomes, Banda Reflexus, Olodum, Daniela Mercury, Timbalada, É O Tchan, Terra Samba, Companhia do Pagode, Gang do Samba, Araketu, As Meninas e Babado Novo.

Recentemente, em homenagem feita pela Assembleia Legislativa do Estado da Bahia aos 30 anos do axé, o Secretário da Cultura, Jorge Portugal, agradeceu ao produtor por toda a sua carreira. “Foi todo o caminho e oportunidade que começou quando você surgiu que me trouxe a condição que estou agora. Então a você, meu amigo querido, conselheiro de cultura, agradeço também a condição que estou agora”, declarou (Leia mais aqui).

Fonte: A Tarde, Correio, Bahia Notícias e Bocão News.